CORPO DA MULHER










BÁSICO I- DESENVOLVIMENTO DO CORPO







BÁSICO I- GRAVIDEZ

  • PERÍODO FÉRTIL




Chamamos de período fértil a época que a mulher ovula. É nesta fase que um dos ovários libera o óvulo. Isso acontece cerca de 14 dias antes da menstruação. Durante a ovulação, ocorrem intensas modificações em todo o organismo, que, às vezes, podem ser sentidas. Sensações de inchaço, náuseas, vômitos, secreção vaginal parecida com "clara de ovo", são algumas delas. "No período da ovulação, as chances da mulher engravidar aumentam 30%", afirma o Dr Celso Marzano.


Imagem de um óvulo saindo do folículo




BÁSICO II - GRAVIDEZ 

  • GRAVIDEZ SEM PENETRAÇÃO

Sem penetração é difícil haver fecundação, mas sempre há a possibilidade de uma gravidez em alguns casos. A forma mais comum de uma pessoa engravidar é a ejaculação com penetração, mas outras situações também trazem algum risco, apesar das chances serem menores.
Por exemplo, brincar com o pênis na entrada da vagina, mesmo sem penetração, pode, por incrível que pareça, engravidar sim. Se a mulher estiver no seu período de ovulação o risco é ainda maior. O homem pode ejacular logo na entrada da vagina e alguns espermatozóides acabam migrando em direção ao óvulo.
E não é só a gravidez que está em jogo, DSTs também podem ser transmitidas com o este simples contato. Colocar um dedo com esperma que acabou de sair do pênis na entrada ou no interior da vagina também traz algum risco. "Não há como saber a probabilidade de gravidez nesses casos. O melhor remédio sempre é a prevenção", aconselha o Dr Luís Henrique Gebrim, ginecologista da Unifesp.



BÁSICO  III - GRAVIDEZ e PREVENÇÃO DE DOENÇAS

  • COMO COLOCAR A CAMISINHA FEMININA

Coloque a camisinha em uma posição confortável: em pé com um pé em cima da cadeira; sentada com joelhos afastados; agachada ou deitada. Segure a argola interna. Aperte e introduza na vagina com o dedo indicador. Empurre com o dedo até sentir o colo do útero. A camisinha deve cobrir o colo do útero e recobrir a vagina. A argola externa fica para fora, aumentando a proteção. Terminada a relação, retire a camisinha com uma torcida na argola externa para o esperma não escorrer, puxe com cuidado e jogue-a na lixeira.




BÁSICO I - CORPO DA MULHER


  • VISÃO GERAL

Para começar bem: A vagina é o canal interno e não a parte externa. A parte externa é a vulva!!!


1.     vagina é um canal de 8 a 10 cm de comprimento, de paredes elásticas, que liga o colo do útero aos genitais externos. Contém de cada lado de sua abertura, porém internamente, duas glândulas denominadas glândulas de Bartholin,  que secretam um muco lubrificante.
2.     A entrada da vagina é protegida por uma membrana circular - o hímen - que fecha parcialmente o orifício vulvo-vaginal e é quase sempre perfurado no centro, podendo ter formas diversas. Geralmente, essa membrana se rompe nas primeiras relações sexuais. 
3.     A vagina é o local onde o pênis deposita os espermatozóides na relação sexual. Além de possibilitar a penetração do pênis, possibilita a expulsão da menstruação e, na hora do parto, a saída do bebê.
4.     A genitália externa ou vulva é delimitada e protegida por duas pregas cutâneo-mucosas intensamente irrigadas e inervadas - os grandes lábios. Na mulher reprodutivamente madura, os grandes lábios são recobertos por pêlos pubianos. Mais internamente, outra prega cutâneo-mucosa envolve a abertura da vagina - os pequenos lábios - que protegem a abertura da uretra e da vagina. Na vulva também está o clitóris, formado por tecido esponjoso erétil, homólogo ao pênis do homem

    BÁSICO II- CORPO DA MULHER

    • O CLITÓRIS
    Poderá descobri-lo sobre a abertura vaginal, onde se encontram os pequenos lábios. Na realidade, o que está à vista é nada mais nada menos que a glande, ou a cabeça do clítoris; o resto está oculto no interior do corpo e é impossível vê-lo do exterior. Se observasse um corte da estrutura interna, encontraria algo parecido a... um pênis. São na realidade órgãos homólogos, similares na estrutura e na origem, mas não na função. Este dado não é surpreendente, já que o clítoris e o pênis formam-se a partir do mesmo tecido embrionário.


    A aparência e o tamanho do clítoris é muito variável. O mais importante, sem dúvida, é que isso não faça qualquer diferença. "Em termos de sensibilidade sexual, o tamanho do clítoris não tem nenhuma relevância, já que todos possuem exatamente o mesmo número de terminações nervosas". A cabeça ou glande do clitóris apresenta normalmente 8000 feixes de fibras nervosas, tendo aproximadamente o dobro do número de fibras nervosas encontradas no pênis. É preenchido internamente por gordura e tecido muscular. Por fora, é revestido por uma epiderme muito fina. O ápice do clitóris é bulboso, chamado de glande (glans clitoridis, em alusão à glande do pênis dos homens), onde se encontra a maior parte dos terminais nervosos responsáveis pela sensação de prazer.


    O clitóris excitado
    Os músculos que compõem a estrutura do clitóris são responsáveis pela sua ereção em ocasiões de excitação sexual. Deste modo, a glande do clitóris emerge do prepúcio e torna-se mais acessível ao toque. Para o fazer reagir, nada melhor que estimulação direta. Masters e Johnson asseguram que o clitóris responde mais depressa que o pênis; ainda que tanto este como o monte de Vénus reajam muito mais rápida e intensamente se estimulados de forma direta, embora com cuidado, porque se trata de um órgão muito sensível. Imediatamente após o orgasmo, este torna-se tão sensível que não é indicado tocá-lo diretamente!

    Saiba mais sobre o clitóris acessando: 
    http://www.cantao.net/index_arquivos/Clitoris.htm


    Os seres humanos têm se estudado sexualmente por milhares e milhares de anos. Porém, apesar de todo esse tempo gasto explorando nossa anatomias, tanto masculina quanto feminina, ainda há muitas características da nossa forma que, até muito recentemente, nos eram desconhecidas. A principal? O famoso clitóris. Mas quão “recentemente” estamos falando?
    Que tal 2009? Sim. Prepare-se, leitor, é hora de você aprender um pouco mais sobre algumas importantes características da anatomia feminina. Imagine um clitóris em sua mente. Pronto? Agora, você acreditaria se eu lhe dissesse que aquilo que você está imaginando é apenas a ponta de algo bem maior? Ou seja, que o clitóris é realmente muito maior do que este conjunto sensível de terminações nervosas nos leva a crer?
    Para entendermos um pouco melhor sobre isso, vamos mergulhar nas partes íntimas femininas. O nome científico para o local que contém as milhares de terminações nervosas, responsável pela sensação de prazer ao toque, se chama glande (o pênis possui uma estrutura homônima e homóloga). Esta pequena estrutura contém cerca de 8 mil fibras nervosas sensoriais, mais do que em qualquer outra parte do corpo humano e quase o dobro da quantidade encontrada na cabeça do pênis.
    O fato é, porém, que a maior parte do clitóris é subterrânea, composta por dois corpos cavernosos, dois crus clítoris (crura) e o bulbo clitoridiano (anteriormente designada por vestíbulo bulbar). A glande é ligada ao corpo ou ao eixo do clitóris interno, o qual é constituído por dois corpos cavernosos. Quando eretos, os corpos cavernosos abrangem a vagina de ambos os lados, como se estivessem a envolvendo e dando-lhe um grande e caloroso abraço.
    ku-xlarge
    O corpo cavernoso também se estende ainda mais, bifurcando-se novamente para formar as duas crura. Estas duas pernas chegam a medir até nove centímetros, apontando para as coxas quando estão em repouso e viradas em direção à coluna quando eretas.
    Surpreso? A maioria dos homens realmente sabe muito pouco sobre essa parte do corpo feminino, principalmente quem não costuma ter um contato constante com a região. No entanto, a notícia de que a grande maioria do clitóris é na realidade interna ainda provavelmente soa como uma surpresa para diversas mulheres.
    As razões para a falta de conhecimento em torno da anatomia do clitóris são variadas. Porém, de acordo com um artigo publicado pela urologista australiana Helen O’Connell, há pelo menos dois fatores principais:
    1. As descrições de livros didáticos são incompletas ou incorretas. Muitas se limitam a descrever a porção relativamente pequena e externa do clitóris ou ilustram a anatomia interna feminina em uma única imagem, bidimensional. Esta visão planar, afirma O’Connell, não fornece informações suficientes para compreender verdadeiramente a sua estrutura;
    2. Ninguém conhecia a fundo a anatomia do clitóris excitado até o final da década de 1990, quando os pesquisadores finalmente usaram imagens de ressonância magnética para estudar a estrutura interna “ao vivo” (uma ferramenta que os cientistas haviam usado para examinar a anatomia sexual masculina lá na da década de 1970).
    original
    Apenas em 2009 os pesquisadores Odile Buisson e Pierre Foldés produziram a primeira ecografia tridimensional completa do clitóris estimulado. De acordo com a “Senhora M”, que escreve no blog oficial do Museu do Sexo de Nova York, Estados Unidos, eles fizeram este trabalho por três anos, sem qualquer financiamento adequado. “Graças a eles, podemos agora entender como o tecido erétil do clitóris enche e circunda a vagina – um avanço completo que explica como o que nós antes considerávamos ser um orgasmo vaginal é, na verdade, um orgasmo clitoriano interno”, escreve. [io9]
    BÁSICO III - CORPO DA MULHER

    • A VULVA


    Do ponto de vista fisiológico, a pele da vulva assemelha-se à do restante do corpo. O monte púbico e os grandes lábios contêm tecido gorduroso, glândulas sebáceas e apócrinas, glândulas sudoríparas e vasos sanguíneos que podem formar varicosidades. Os pequenos lábios são ricos em glândulas sebáceas, poucas glândulas sudoríparas e nenhum folículo piloso. O epitélio do introito vaginal (vestíbulo) não é pigmentado ou queratinizado.




    A genitália externa ou vulva é delimitada e protegida por duas pregas cutâneo-mucosas intensamente irrigadas e inervadas - os grandes lábios. Na mulher em idade pós-puberdade, os grandes lábios são cobertos por pêlos pubianos. Mais internamente, outra prega cutâneo-mucosa envolve a abertura da vagina - os pequenos lábios - que protegem a abertura da uretra e da vagina. 

    Há uma série de secreções diferentes associados com a vulva, incluindo urina, suor, menstruação, a oleosidade da pele (sebo), Bartholin e secreções das glândulas de Skene e secreções da parede vaginal. Bactérias naturalmente presentes na flora microbiana da vagina faz com que ela tenha um cheiro característico; embora nem sempre um cheiro forte seja sinônimo de algum mal, porém, muitas doenças sexualmente transmissíveis apresentam o mau cheiro como um dos sintomas. 



    BÁSICO  IV - CORPO DA MULHER

    • O CANAL VAGINAL
    O canal vaginal pode ter um tamanho de diâmetro inicial de 4 centímetros, contudo é uma musculatura elástica, e não é possível prever até que diâmetro se pode moldar. Assim sendo, a partir de 4 / 5 cm para diante podemos considerar que a vagina é um pouco mais larga do que o habitual, o que não quer dizer que isso possa constituir problema para a mulher, porque tudo depende da forma como esta se sente em relação a seu parceiro. É constituída por um canal muscular e elástico, com aproximadamente 10 cm de profundidade podendo chegar aproximadamente de 16 cm. Esses valores variam entre as mulheres. 



    É um tubo fibro muscular que, do vestíbulo, se alonga para cima e para trás, pelo períneo, até a pelve. É receptora do pênis no coito dá saída ao fluxo menstrual e, com a cavidade uterina forma o canal do parto. A luz é forrada por mucosa de epitélio pavimentoso muito estratificado, levantada por colunas e rugas. Situa-se a vagina entre bexiga-uretra, na frente, e reto, atrás. Canal flexível de tamanho variável que vai do colo do útero até ao exterior. 



    Normalmente as paredes da vagina estão juntas. Quando se produz excitação sexual as paredes da vagina separam-se um pouco e produzem um líquido. A lubrificação vaginal é um fenômeno muitas vezes involuntário que tem lugar como resposta a estímulos que em dado momento são capazes de excitar sexualmente. A vagina, tal como o colo do útero, tem uma grande capacidade de dilatação, pois permite a passagem da criança no momento do parto. 




    BÁSICO  V - CORPO DA MULHER

    •  O HÍMEN

    Antes de tudo, o hímen é uma membrana que está localizada FORA  vagina, onde pode ser visto com certa facilidade com um espelho. Algumas mulheres acreditam que o hímen fica dentro da vagina, mas na verdade ele fica bem na parte de fora, é o que COBRE a abertura vaginal, mas NÃO completamente!



    O hímen é uma membrana fina e elástica na base dos pequenos lábios que tapa, parcial ou completamente, a entrada da vagina virgem ou a rodeia como um anel rugoso, estreitando a entrada. Na verdade essa película que é um fragmento que resta do processo de desenvolvimento da vagina ainda na fase embrionária. Durante o desenvolvimento do feto, a vagina é como um tubo sólido (fechado), que ao longo dos meses vai sendo reabsorvido, tornando-se um tubo oco como originalmente conhecemos. Essa membrana, na maioria das vezes, não desaparece totalmente.



    O hímen possui uma abertura central que pode adquirir formas e diâmetros variáveis. O mais comum é o chamado anelar por ser semelhante a um anel. Alguns tipos de hímen são chamados de complacentes, pois são constituídos de fibras mais elásticas que não se rompem durante a relação sexual. É pelo orifício do hímen que são eliminadas as secreções internas, inclusive a menstruação.


    Existem algumas divergências dos especialistas quanto à função do hímen. Alguns acham que o hímen não tem nenhuma função biológica, ou seja, trata-se de um resquício embrionário sem importância. Outros acham que ele tem o papel de proteger a vagina, uma vez que na infância as meninas não produzem hormônios suficientes para se defender de possíveis infecções. 


    É importante saber que o rompimento do hímen nem sempre resulta em um sangramento. Isso só acontece quando ocorre o rompimento de algum vaso sanguíneo diretamente ligado a membrana (hímen), caso nenhum vaso seja atingido, não ocorrerá sangramento. Assim, está errado associar o sangramento à primeira relação sexual. Nem sempre isso acontece!



    BÁSICO  IX - CORPO DA MULHER

    • CÉRVICE - CÉRVIX


    O cérvix (cérvice ou colo do útero) é a porção inferior e estreita do útero, quando ele se une com a porção final superior da vagina.


    BÁSICO  VI - CORPO DA MULHER

    •  O ÂNUS




    Embora não seja a natureza do ânus, é costume de muitos casais utilizarem este para fins sexuais, introduzindo o pênis, dedos, viabradores, entre outros. O ânus não possui nenhum tipo de estrutura que fabrique secreções lubrificantes, o que pode tornar qualquer tipo de penetração no local bastante desconfortável. O uso de preservativo é outro cuidado geralmente tomado, a fim de reduzir a incidência não só de DSTs mas também de alguma infecção no pênis devido a presença de microorganismo existentes no intestino grosso e reto.




    Se o sexo anal for praticado no período de inflamação da hemorróida, agravará o quadro, além de causar muita dor. Hemorróidas são tecidos que contêm veias e que estão localizados nas paredes do reto e do ânus. Podem inflamar e desenvolver um coágulo sanguíneo (trombo), sangrar ou tornar-se dilatadas e protuberantes. As que permanecem no ânus são denominadas hemorróidas internas e aquelas que se projetam para fora do ânus são as externas. "Mais de 80% da população convive com elas, mas, por medo ou vergonha, poucas pessoas procuram ajuda médica” relata urologista. 


    Mais sobre sexo anal:  http://www.nippojovem.com.br/sexo01/perguntas/femi/anal.php



    BÁSICO  VIII - CORPO DA MULHER


    •  ÚTERO INVERTIDO

    Retroversão uterina, também conhecido como útero retrovertido, útero invertido, útero reverso ou útero virado, é quando a mulher possui a posição do útero diferenciada. Uma porcentagem de mulheres que pode variar entre 15 a 25% tem o útero voltado para a região posterior do corpo (retrovertido). Algumas mulheres podem sofrer um deslocamento do útero, que varia sua posição em pouco espaço de tempo, dependendo das condições dos elementos orgânicos periféricos (ex: bexiga cheia), condições de estresse físico (ex: pós-parto) ou até mesmo por condições de envelhecimento.  



    Sintomas Comuns



    Não necessariamente a paciente possuirá todos os sintomas: 


    • Dor crônica pélvica ou lombo-sacra (“dor nas cadeiras”).
    • Dispareunia profunda (dor que surge no ato sexual referida a pelve, mas que freqüentemente permanece por horas após a relação)
    • Dismenorréia (cólicas de menstruação intensas
    • Proctalgia (dor ao evacuar)
    • Disúria (dor ao urinar)


    Útero Invertido e Gravidez

    Sabe-se atualmente que a correlação do “útero retrovertido” com a dificuldade de engravidar é devida a maior suscetibilidade de endometriose nestas mulheres. O útero retrovertido dificultaria o escoamento da menstruação pelo orifício do colo, o que aumentaria o risco de refluir pelas  trompas uterinas levando a implantação de focos do endométrio na cavidade abdominal (menstruação retrógrada) somadas à dificuldade estrutural uterina já apresentadas (retroversão uterina), aumentando a dificuldade no trajeto dos espermatozóides.

    Quando escutam um médico dizer que a mulher terá mais dificuldade para engravidar, muitas mulheres ficam anos achando que não serão mães. Isto é explicado pela falta de aprofundamento no assunto, pois em grande parcela das pacientes tal situação não fez nenhuma diferença em suas vidas.

    Existe uma pequena dificuldade para a fecundação, fato que deve ser considerado pelos profissionais, mas isso não atrapalhará a vida da paciente ou a de seu marido. Maridos devem ser responsáveis pelo apoio, pois enquanto não engravidam as mulheres se sentem receosas em pensar no assunto, e na maioria das vezes inseguras.

    Cada caso se mostra diferenciado, mas uma constante é que a retroversão uterina nada tem a infertilidade, o problema é estrutural. Grande parte das mulheres nem mesmo necessitam de um acompanhamento médico para engravidar (acompanhamento médico na gestação é adequado para qualquer mulher). Não é necessário nada mais que paciência para que a gestação desejada seja concretizada, o que não será diferente para qualquer outra mulher.



    24 comentários:

    1. Eu tive relações sexuais a mais de 10 anos, quando for ter vou sentir muita dor?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Se você estiver tensa e o companheiro for bruto e não se preocupar com preliminares pode sentir dor sim como qualquer pessoa com a vida sexual ativa poderia sentir. E se estiver com algum problema de saúde, alguma doença na área genital pode ser que cause alguma dor. Mas essas dúvidas todas precisam ser tiradas com o seu ginecologista.

        Excluir
    2. Eu tenho um cisto no ovário e estou na segunda cartela do anticoncepcional Repopil(generico do diane 35) para a diminuicao desse cisto. Tive primeira relacao, e foi no decimo dia do uso do anticoncepcional. porem, sinto muitas dores em todas as vezes que nos tentamos. Isso e normal?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Minha querida, como colocamos bem acima aqui no blog, ele não é mantido por profissionais da área de saúde. É um blog informativo. Sua dúvida apenas seu ginecologista pode responder. Não procure em blog nenhum, nem mesmo um que seja mantido por um ginecologista uma resposta tão específica. Procure seu médico para que ele possa te responder após exames que ele julgar serem necessários. Desculpe por não podermos te ajudar nesse caso, porque desejamos o melhor a você. Deus te abençoe e te ajude nesse processo de cura desses cistos!

        Excluir
    3. eu e minha namorada sempre temos relações a quase um ano, e a gente sempre temos relação sem camisinha, eu nunca ejaculei dentro, sempre quando sinto que vou gosar, eu tiro o penis da vagina dela, e goso fora, será que tem risco de gravidez?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. sIM POIS PODE SER POSSIVEL ALGUNS ESPERMAS IR JUNTO COM A LUBRIFICAÇAO ALGO QUE ACONTECE TODAS A HORAS

        Excluir
    4. Sexo anal transmite alguma doença?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Especialistas dizem que podem levar a óbito, pode por incrivel que pareca afetar o sistema cardiiaco da mulher e levar ao obito.

        Excluir
    5. Pro homem no ato sexual tem diferença a mulher ter utero invertidoou nao? Atrapalha? Ou é mais prazeroso?

      ResponderExcluir
    6. Olá, gostaria de saber quando H goza fora e a mao da M suja de esperma, e ela sem querer passa na entrada da vagina( não chega introduzir o dedo) somente na entrada, há possibilidade de engravidar?( lembrando que tomo remédio há 3 meses e esqueci tomar um dia o remedio na primeira semana da cartela, mas tomei a esquecida junto c o dia seguinte)

      ResponderExcluir
    7. A entrada da minha vagina estava tampada e meu namorado gozo na minha perna posso estar gravoda?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Não...sem chance. Nenhum espermatozóide chegaria tão longe, da perna ao útero, muito menos se a vagina estava tampada.

        Excluir
    8. Quando o hímem é considerado anormal sem orifício isso impossibilita a relação sexual?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, sou estudante de medicina.
        Entao, nao só seria impossivel realizar uma relaçao sexual, como tambem seria impossivel que a garota menstruasse. Nesses casos, a garota deve ir ao ginecologista que ele fará uma microcirurgia em seu proprio consultorio (uma incisao em forma de cruz), preservando o himen e permitindo que a menina menstrue sem causar desconforto e dores, e mais tarde, uma penetraçao.
        Abraço!

        Excluir
    9. Oi, gostaria de saber se há risco de gravidez sem uma penetração completa, ou seja, se o homem colocou o pênis (não todo) e logo tirou. Há risco de gravidez?

      ResponderExcluir
    10. Isso é muito dificil de ocorrer, pq os espermatozoides estariam longe demais do utero... Porém, quando chegam na vagina, entram no estagio de maior movimentaçao dos flagelos e gasto de energia.
      Enfim, tudo é possível.

      ResponderExcluir
    11. Eu tive um namorado o qual insistiu tanto até q eu fosse pra cama com ele, mas eu estava com medo
      e tudo mais, ele colocou, e nós dois eramos virgens, e não sei se ele colocou no lugar certo, não senti prazer só
      dor do começo até eu conseguir me livrar definitivamente daquele momento desagradável, não sangrei mandei ele
      parar porque estava doendo. Não sei se sou virgem e queria saber se vocês acham q o hímen foi rompido ou não?

      ResponderExcluir
    12. quem tem menopausa e demorou para se tratar pode tr o canal vaginal ''atrofiado''? e assim ela n podera ter relaçoes msmo passando remedio para o ressecamento? o q fazer para ajudar no ''atrofiamento''?

      ResponderExcluir
    13. Eu tive minha primeira relação sexual a umas 4 semanas, mais ou menos, e na primeira relação que tive com meu namorado, ele não penetrou tudo, na segunda, do mesmo jeito, já na terceira que foi a uns dias, ele penetrou todo o pênis, eu senti apenas um pequeno incômodo como das outras vezes, e prazer ao mesmo tempo, ele colocou com muito cuidado, quase não senti dores, só alguns incômodos mesmo, e não sangrei, meu Hímen foi rompido?

      ResponderExcluir
    14. Me ajudaaaaaaaaaaaaaaaa !
      Tp, fiquei com um garato , mais sem penetração . Fiquei d calcinha e ele d cueca . Só q ele disse q melou a cueca e senti um melado na minha perna . N entendo mt sobre período fertil , mais acho q estou no período fértil. Creio q daqui uns dois dias devo ficar naquele dia . Sera q ha algum risco d gravidez ? Me expliquei um pouco sobre o período . Por favor ! Agradeço .

      ResponderExcluir
    15. É normal a mulher ter um tecido rugoso na entrada da vagina?

      ResponderExcluir
    16. Enfiei o esperma na vagina eu vou engravidar?

      ResponderExcluir
    17. meu namorado fez a penetração com o dedo agora estou sangrando muito gostaria de saber se é normal.

      ResponderExcluir